Jogo 5.887: Timão vai buscar empate, mas Palmeiras leva título nos pênaltis

  1 x 1

O Corinthians saiu no prejuízo e foi buscar o empate por 1 x 1 na tarde deste sábado no Allianz Parque, mas o Palmeiras venceu por 4 x 3 nos pênaltis e impediu o tetracampeonato paulista corinthiano.

Depois de um primeiro tempo de muita disposição e pouca inspiração, tudo parecia indicar que Corinthians e Palmeiras decidiriam o Campeonato Paulista de 2020 nos pênaltis.

Aos 4 minutos da etapa complementar, no entanto, Danilo Avelar deixou Luís Adriano subir sozinho e abrir o placar para o Palmeiras. Foi o primeiro gol sofrido pelo Corinthians em seis jogos pós-retorno da pandemia.

Com a vantagem, o Palmeiras tentou administrar o resultado, tendo a seu favor a falta de inspiração dos meio-campistas alvinegros.

Acontece que o Corinthians, quando falta o talento, vai pra cima na raça. O Palmeiras seguiu cozinhando o jogo, encerando e batendo. Num lance bastante cafajeste, o palmeirense Rony tirou o lateral Fágner do jogo.

Até ouço o discurso inflamado e hipócrita da mídia corinthiana se tivesse acontecido o contrário, mas jogo que segue.

O Corinthians foi pressionando, o Palmeiras foi recuando, mas nada de levar perigo real à meta defendida por Weverton.

O título palmeirense parecia garantido aos 49 minutos do segundo tempo, quando o Timão tentou uma última investida e o zagueiro Gustavo Gómez fez pênalti em Jô.

O próprio atacante mosqueteiro foi para a bola e converteu, levando a decisão do título para os pênaltis no Dérbi 365.

A situação até parecia sugerir uma vantagem psicológica para o Corinthians, mas Michel Macedo (ganha um doce quem me explicar por que ele ficou responsável pela primeira batida) e Cantillo desperdiçaram suas cobranças e o Palmeiras venceu as penalidades por 4 x 3.

Poderia ter sido melhor, claro. Mas para um time que voltou desacreditado em meio à pandemia, o tetra não veio por um detalhe.

No entanto, nada apaga a capacidade de reação demonstrada pelo Corinthians – e nem as sérias carências do elenco, especialmente na armação das jogadas.

Além disso, um corinthiano tem muito do que reclamar nos últimos anos, mas não do desempenho contra o incensado Palmeiras.


Artilheiro do jogo: Jô |
| Contra o Palmeiras |
O Corinthians em 2020 |
| No Allianz Parque |
Sob o comando de Tiago Nunes |
| Na história do Campeonato Paulista |
| O Corinthians com portões fechados |
O Corinthians na história |


3 thoughts on “Jogo 5.887: Timão vai buscar empate, mas Palmeiras leva título nos pênaltis

  1. Ótima análise, Ricardinho. Não me conformo Michel Macedo abrindo as cobranças. E também o Luan em campo até o fim. Deveria então ter batido. A reação alvinegra foi heróica na volta da pandemia. É o que fica.

  2. Foi uma pena. Por pouco não chegamos ao tetra.

    O gol do Jô no final infartou um monte de porcolinos.

    O gigante tentou, mas com michel macedo no time… hummmm

    Chegamos bem longe… Espírito vencedor. Vai Corinthians!!!!!!!!

  3. Dois jogos medonhos na final do Paulistão. Dois times aplicados taticamente, mas com baixíssimo nível técnico. Os gols nasceram de erros do adversário porque nenhum dos dois times ousou em 180 minutos. Nos pênaltis, mais uma demonstração do baixo nível. Por aquilo que jogou durante o campeonato até a interrupção por causa da pandemia, o Corinthians foi longe demais. O rival, pela grana que a dona do time tem, era o favorito desde o início do campeonato. Mas o Corinthians poderia ter vencido qualquer um dos dois jogos (ou os dois) da final se tivesse alguma cabeça pensante no meio de campo, que soubesse distribuir o jogo, que arriscasse um chute ou uma jogada mais agressiva. Ficou provado que, se o Luan foi contratado para fazer esse papel, ele definitivamente não é o cara certo. As substituições também pioraram o time, mas o elenco é ruim e o banco é um amontoado de pernas de pau. No entanto, pra um time que há três semanas corria o risco de não se classificar e até de ser rebaixado, o Corinthians fez mais do que se esperava. Ou melhor, fez o que o Corinthians sempre faz: foi na raça, no coração, honrando sua tradição, o que se mostrou com o gol no último minuto da partida. O fato é que por aquilo que foram os dois jogos finais, qualquer um poderia ter vencido, com o maior clássico paulista infelizmente nivelado por baixo. Mas valeu, Timão. Aquele gol no último minuto enquanto todo o time e a torcida porcolina rezavam pro jogo acabar foi um momento de boas risadas. De resto, tudo normal. Timão continua sendo o maior vencedor do Paulistão, disparado! Valeu, Corinthians! Vai Timão! (e, por favor, arranja um armador pra jogar nesse time!!)

Comments are closed.