Jogo 5.873: Arbitragem varzeana dá vitória ao Guaraní no Paraguai

1 x 0 

Em uma noite protocolar de arbitragem varzeana na Libertadores, uma bola parada originada de um erro do juiz deu a vitória ao Guaraní do Paraguai sobre o Corinthians pela contagem mínima nesta quarta-feira em Assunção.

O lance ocorreu aos 7 minutos de jogo. O árbitro ignorou uma falta escandalosa em Boselli para no lance seguinte arrumar uma bola parada para o Guaraní levantar na área e marcar o único gol da partida.

A produção ofensiva do time da casa parou por ali. O Guaraní passou a controlar o jogo na base da marcação eficiente, da bola pro mato e da cumplicidade do juiz com sua falta de pressa.

Até pouco tempo atrás, se bem me lembro, a mídia anticorinthiana demonizava um certo time que jogava assim e achava injusto quando esse estilo prevalecia sobre o dos adversários. Se ganhasse na bola parada então, os tais “amantes do futebol-arte” precisavam de um desfibrilador ao alcance das mãos. De repente o lado muda e isso vira “eficiência”, mesmo quando a influência da apitagem no resultado é inegável. Mas sigamos em frente.

Mesmo jogando mal, o Corinthians atuou com raça e criou diversas oportunidades para empatar. Quando não parou na trave, com Boselli, o goleiro Sérvio defendeu em lances de perigo envolvendo Everaldo, Mádson e Cantillo.

Nem seria preciso dizer que o sul-americano de várzea contou com um árbitro que ignorou a violência do time da casa e foi condescendente com a cera do aurinegro paraguaio, mas é melhor deixar registrado para não se deixar a impressão de que desta vez teria sido diferente.

Pela primeira vez em 2020, o Timão deixou o gramado sem balançar as redes adversárias. Agora o Corinthians vai precisar de toda a força da Fiel para buscar uma vitória por dois gols de vantagem com o objetivo de avançar na Libertadores.

Que Luan desperte logo do torpor que o abate e Tiago Nunes entenda de uma vez por todas que a lateral-esquerda pertence ao jovem Lucas Piton, e não ao displicente Sidcley.


| Contra o Guaraní do Paraguai |
O Corinthians em 2020 |
| En La Nueva Olla |
Sob o comando de Tiago Nunes |
| Na história da Libertadores |
| Contra clubes paraguaios |
O Corinthians na história |


One thought on “Jogo 5.873: Arbitragem varzeana dá vitória ao Guaraní no Paraguai

  1. Arbitragem caseira, como é de praxe na Conmebol. Juiz ridículo e covarde. O Corinthians, pelas chances criadas, merecia pelo menos o empate. Pelo menos. Mas alguns jogadores deixaram a desejar. Janderson foi muito bem no domingo, mas mas ontem pouco produziu além da correria. Tiago Nunes o substituiu pelo Madson aos 30 do segundo tempo. Eu teria colocado o Love pela sua maior experiência e mais presença na área. Boselli, infelizmente não conseguiu aparecer pro jogo. Sidcley foi um vexame e não pode ser titular tendo o Piton no elenco. Luan precisa entrar no jogo. Aqui é Corinthians, time do povo e da raça. Acorda, Luan, se liga mano! Quem jogou bola no Timão lá no Paraguai foi o Cantillo. O único que realmente jogou bem. É muito pouco pra um time como o Corinthians diante de um adversário esforçado, mas tecnicamente fraco. No jogo de ontem ficou claro que o elenco do Timão é limitado. Não tem ninguém no banco com capacidade de mudar o jogo. Vital, Everaldo, Madson, Janderson são jogadores meia boca. O time titular é competitivo. Mas o banco não dá esperança de que esse time vai muito longe. Dá pra virar em Itaquera. O time do Corinthians é superior. Mas tem que fazer gol, ser decisivo. Tem que pressionar o adversário, mas sem entrar no nervosismo. Chega de perder pra esses caras. Vamos virar freguês de time paraguaio, com todo respeito ao povo hermano? Olha o tamanho do Corinthians. Olha o tamanho dos caras. Jogaram num estádio quase vazio!!! Vergonha na cara vai bem numa hora dessa. A Fiel com certeza vai fazer a sua parte em Itaquera. Jogadores e comissão técnica que também façam a parte deles. Vai Corinthians, porra!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *