Jogo 5.632: Corinthians dá vexame no Mineirão

cruzeiro 4 x 2 corinthians

O Corinthians desmanchado por Roberto de Andrade conseguiu levar quatro gols do Cruzeiro e acabou eliminado nas quartas-de-final da Copa do Brasil. O time mineiro, apesar de sua tradição, este ano luta rodada após rodada contra o rebaixamento. Não é aceitável tomar quatro gols de um time nessa situação.

O técnico Oswaldo de Oliveira fez sua parte, organizou o time em campo e não se rendeu à lenga-lenga de segurar resultado. Como consequência, os jogadores se desdobraram e até conseguiram dois gols fora de casa. Mas o material humano não ajuda. A falta de conjunto provocada pelo desmanche falou mais alto no desentrosamento da dupla de zaga. Um time que quer seguir em frente num mata-mata não pode dominar o jogo e tomar dois gols em dois minutos.

Seja como for, não adianta xingar técnico nem jogador que sabemos não servir para titular. O responsável pela ridícula situação vivida pelo Corinthians atende como presidente do clube. Roberto de Andrade é o equivalente futebolístico da canalha que quer privatizar a Petrobras e entregar o pré-sal para os gringos: quem comemora e dá risada com suas decisões ineptas é só a concorrência. Ninguém mais.


Artilheiros do jogo: Rodriguinho e Rildo.

Contra o Cruzeiro

Sob o comando de Oswaldo de Oliveira

Na história da Copa do Brasil

O Corinthians em 2016

O Timão em 106 anos de história

One thought on “Jogo 5.632: Corinthians dá vexame no Mineirão

  1. Esse time do Corinthians é muito ruim. Não dá nem pra reclamar do juiz fdp. O volante não marca ninguém e expõe a defesa ao ataque adversário. Na zaga, o experiente Balbuena é lento e não dá segurança pros garotos Pedro Henrique e Vilson, que um dia, se forem bem treinados, ainda poderão jogar bem. No ataque, o isolado Romero é um esforçado com grandes limitações técnicas. Não existe um homem gol. Entre os armadores/atacantes, um trio de bundas-moles (Guilherme, Giovani Augusto e Marquinhos) que só sabem ciscar, mas não têm ousadia pra entrar na área e tentar o gol. Sobra pro Rodriguinho a responsabilidade. E um time que depende do Rodriguinho é um time fadado ao fracasso. Ele é esforçado, mas não pode ser o principal jogador do Sport Club Corinthians Paulista. É pensar pequeno demais. No banco de reservas, um técnico que demora pra trocar os jogadores e tentar mudar a história do jogo. Salva-se o goleiro Walter. E salvam-se também os laterais Fagner e Uendel, que se não comprometem o time, também deixam claro que estão desmotivados. Pra quem foi campeão em 2015 com aquele timaço, deve ser desanimador jogar com esse time de manés este ano. O Corinthians não disputou nada em 2016, não colocou medo em ninguém, não chegou nem vai chegar a lugar nenhum. Parabéns à diretoria pelas excelentes contratações, pela falta de planejamento, pela ausência de inteligência, por não saber atuar quando o Tite foi pra seleção. Depois dele, tivemos três técnicos… coisa de timeco de quinta categoria. E o Corinthians não é de quinta categoria. De quinta é essa diretoria. 2016 vai entrar pra história do Corinthians como o ano do fracasso. Fora Temer! Fora Roberto de Andrade!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *