Especial Libertadores

Esta é a página especial do Retrospecto Corinthiano dedicada à conquista da Copa Libertadores da América, em 2012.


LANCEPRESS! - BRASIL- São Paulo - SP 04.07.2012 - Foto de Ari Ferreira/LancePress! - Copa Libertadores - Corinthians x Boca Juniors Estadio Pacaembu- Na foto - Alessandro levanta taça

04/07/2012 – Foto de Ari Ferreira/LancePress!

A conquista da Libertadores de 2012 é uma epopeia típica de Corinthians. O primeiro título sul-americano do Timão foi conquistado de forma invicta. Oito vitórias e seis empates ao longo de 14 jogos, dez deles sem sofrer nenhum gol. Foi o campeonato que consagrou Cássio, Paulinho, Danilo, Emerson Sheik, Ralf, Alex, Jorge Henrique, Liédson, Alessandro, Fábio Santos e, claro, o técnico Tite.

A vexaminosa eliminação para o Tolima antes da fase de grupos da Libertadores de 2011 pesou sobre os jogadores, a comissão técnica e a diretoria. Houve reformulação parcial do elenco, mas o Corinthians bancou Tite e o técnico conduziu o Timão à conquista do pentacampeonato brasileiro.

Quando a Libertadores de 2012 chegou, como é de costume no comportamento da mídia anticorinthiana, todo mundo era favorito para a conquista do título sul-americano, menos o Corinthians que ela tanto ama odiar.

Na condição de campeão brasileiro, o Timão caiu no Grupo 6 da competição. Os adversários no grupo eram o Cruz Azul do México, o Deportivo Táchira da Venezuela e o Club Nacional do Paraguai.

A estreia alvinegra se deu em 15 de fevereiro, fora de casa, contra o Táchira. Em meio a lances de sorte demais para um lado e de menos para o outro, o time venezuelano abriu o placar e não tinha santo que fizesse a bola do Corinthians entrar. Tudo indicava o início de uma campanha predestinada ao fracasso. Até que no último lance do jogo, Ralf surgiu como um gigante na área para empatar. Dali em diante, o Timão venceu o Nacional em casa e empatou fora com o Cruz Azul.

Quando enfrentou o time mexicano no Pacaembu, o Corinthians assumiu a liderança do grupo e já no jogo seguinte, diante do Nacional fora de casa, antecipou a passagem para as oitavas-de-final. Na despedida da fase de grupos, uma retumbante goleada sobre o Táchira colocou os pingos nos is.

Clique nos links dos resultados para mais detalhes sobre os jogos desta histórica campanha.

Primeira fase
15/02/2012 – Deportivo Táchira 1 x 1 Corinthians
07/03/2012 – Corinthians 2 x 0 Club Nacional
14/03/2012 – Cruz Azul 0 x 0 Corinthians
21/03/2012 – Corinthians 1 x 0 Cruz Azul
11/04/2012 – Club Nacional 1 x 3 Corinthians
18/04/2012 – Corinthians 6 x 0 Deportivo Táchira

O adversário nas oitavas seria o encardido Emelec. No confronto de ida, em Guayaquil, o Corinthians precisou segurar o adversário e o juiz para ficar no empate sem gols. Na volta, um tranquilo 3 x 0 levou o Timão às quartas-de-final.

Oitavas-de-final
02/05/2012 – Emelec 0 x 0 Corinthians
09/05/2012 – Corinthians 3 x 0 Emelec

Veio então o Vasco da Gama, vice do Timão no Brasileirão de 2011. Para a mídia anticorinthiana, o Vasco já era semifinalista. Mas havia um Corinthians no meio do caminho. Choveu demais no Rio no jogo de ida, que acabou 0 x 0. Na volta, em São Paulo, uma vitória alvinegra com contornos dramáticos. A Fiel parou de respirar pelos intermináveis segundos entre Alessandro perder a bola para Diego Souza e Cássio, com as pontas dos dedos, fazer a histórica e salvadora defesa. A poucos minutos do fim, com Tite acompanhando a partida das arquibancadas depois de ter sido expulso do bando, Paulinho subiu mais do que todo mundo para fazer explodir o Pacaembu.

Quartas-de-final
16/05/2012 – Vasco 0 x 0 Corinthians
23/05/2012 – Corinthians 1 x 0 Vasco

Lá estava o Corinthians na semifinal. E quis a tabela que viesse o badalado Santos de Neymar. Mais uma vez a mídia anticorinthiana não tinha a menor dúvida: Santos e Boca Juniors reeditariam a final de 1900 e guaraná de rolha. E mais uma vez havia um Corinthians no meio do caminho.

A parada praticamente se resolveu na Vila Belmiro, com um golaço de Emerson Sheik garantindo a vitória corinthiana. Fora o Corinthians, tudo o mais foi digno de várzea naquela noite: o estádio mequetrefe, o juiz caseiro, o apagão nos refletores, o choro dos maus perdedores etc. Na volta, o Corinthians deixou patente a diferença entre meninos e homens e assegurou, pela primeira vez, uma vaga na decisão da Libertadores.

Semifinal
13/06/2012 – Santos 0 x 1 Corinthians
20/06/2012 – Corinthians 1 x 1 Santos

E contra quem? Logo de cara, o Boca Juniors. Tudo indicava para uma das maiores finais de todos os tempos. E assim foi. Na ida, o gol salvador de Romarinho na Bombonera. Na volta, um show particular de Emerson Sheik na noite em que São Paulo parou, na noite em que quem não quisesse ver o jogo podia fazer piquenique no meio da marginal Tietê sem risco de atropelamento. Mas não pararia por aí.

Final
27/06/2012 – Boca Juniors 1 x 1 Corinthians
04/07/2012 – Corinthians 2 x 0 Boca Juniors

Ainda naquele ano o Corinthians seria ainda bicampeão mundial. E se você quer conhecer ou lembrar dessa história, é só clicar aqui e ler nosso especial sobre os títulos mundiais de clubes do Timão.