Jogo 5.831: Corinthians e Flamengo empatam em Itaquera

corinthians 1 x 1 flamengo

Corinthians e Flamengo empataram por 1 x 1 em duelo movimentado na tarde deste domingo em Itaquera.

Assim como ocorreu em outras ocasiões ao longo dos últimos anos, o time de Fábio Carille entrou em campo em alta voltagem na tarde de hoje.

O duelo seguia equilibrado até o Corinthians abriu o placar aos 15 minutos do segundo tempo em pênalti batido por Clayson.

O primeiro pênalti em quase um ano a favor do Corinthians surgiu de um contra-ataque no qual Pedrinho acionou Fágner, que escapou da falta e passou para Vágner Love entrar livre na área antes de ser atropelado por Berrío. O árbitro Leandro Pedro Vuáden mandou botar na marca da cal.

Foi o primeiro pênalti a favor do Corinthians desde a decisão da Copa do Brasil do ano passado, contra o Cruzeiro. Foram nove meses e quatro dias sem que um juiz tivesse a coragem de marcar um pênalti a favor do Corinthians, apesar de alguns terem acontecido no período.

O Corinthians cresceu depois do gol e não ampliou por pouco. Aos 42, no entanto, Gabigol marcou ao aproveitar rebote de Cássio e deu números finais ao 30º empate da história do confronto entre Corinthians e Flamengo.


Artilheiro do jogo: Clayson |
| Contra o Flamengo |
O Corinthians em 2019 |
Em Itaquera |
Pelo Campeonato Brasileiro |
Sob o comando de Fábio Carille |
O Corinthians na história |


One thought on “Jogo 5.831: Corinthians e Flamengo empatam em Itaquera

  1. Há jogos que simbolizam a midança de rumo de um time numa competição. Uma vitória contra um adversário difícil neste domingo em Itaquera poderia marcar o início de uma arrancada rumo a uma melhor posição na tabela e, quem sabe, dar alguma esperança de um segundo semestre produtivo. Mas o time do Carille mostrou-se incapaz desse feito. A partir dos 30 do segumdo tempo, aceitou a pressão do adversário, que passou a ter o domínio da bola, e o resultado já sabemos. O time está evoluindo. O sistema defensivo ficou mais forte. Mas ainda está longe de impedir gols adversários. O meio de campo continua sem uma armação de alto nível e o ataque sofre com isso. Pra encerrar o Carille tem optado por bolas levantadas na área pra tentar o gol. OK, essa é uma tática antiga, mas ainda pode funcionar desde que os jogadores treinem e se aprimorem tanto nos cruzamentos quanto no cabeceio e no posicionamento dentro da área. E isso é trabalho que só dá certo quando o treinador treina o time nessas jogadas sabendo como treinar. Poderia ter feito isso nos 30 dias do recesso da Copa América.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *