Jogo 5.694: Contra o Vasco, Timão reencontra o caminho da vitória com gol de mão

corinthians 1 x 0 vasco

O Corinthians reencontrou o caminho da vitória com um gol irregular de Jô aos 28 minutos do segundo tempo do jogo da tarde deste domingo contra o Vasco em Itaquera. Logo depois de substituir Jádson, Marquinhos Gabriel fez boa jogada pela esquerda, cruzou para a área e encobriu o goleiro Martin Silva. Jô foi para a bola pressionado pela marcação e tentou cabecear, mas não conseguiu. A bola tocou no braço dele e entrou.

Já se passavam quase três jogos inteiros sem um gol corinthiano pelo Campeonato Brasileiro. A bola alçada por Marquinhos Gabriel certamente ia bater na trave, mas não dá pra saber se entraria sem o toque de Jô, que agora chegou a 20 gols marcados em 2017.

De um lado, a arbitragem devolveu dois dos quatro pontos roubados nos gols legítimos marcados por Jô e incorretamente anulados contra Coritiba e Flamengo no primeiro turno. Uma hora a arbitragem erra a favor, afinal. Mas ganhar na mão grande não tem tanta graça assim. Da mesma forma que ser garfado pela apitagem é revoltante, saber que o Timão foi beneficiado tem um sabor rançoso.

O fato é que o atacante corinthiano teve uma grande oportunidade de mostrar o que aprendeu – ou não – com aquele lance de fair play do Rodrigo Caio na semifinal do Campeonato Paulista. O correto a fazer seria avisar ao árbitro que a bola bateu no braço dele, pois foi o que houve, e jogo que segue. Em um momento no qual uma nova cultura se mostra tão necessária, é lamentável que não tenha acontecido assim. Mas ainda estamos longe de viver em um mundo ideal.

Da mesma forma que os vascaínos têm motivos para se queixar, é improvável que os antis e seus embaixadores na mídia admitam que houve um pênalti ignorado pela arbitragem em Jô ainda no primeiro tempo. Ou então que se lembrem dos gols mal anulados de Jô e dos pontos surrupiados nos jogos em questão. Ou do gol de mão de Luís Fabiano para o Vasco na goleada corinthiana por 5 x 2 no primeiro turno.

Dito tudo isto, seria um lance de fácil esclarecimento se não houvesse tanta resistência ao árbitro de vídeo. Agora o gol de mão vai predominar as discussões de um jogo muito bom, repleto de alternativas. O Corinthians criou diversas oportunidades. Perdeu a maioria delas por ansiedade, e algumas pela excelente atuação de Martín Silva no gol vascaíno.

Quero crer que o Timão seguiria pressionando em busca da vitória se o gol de Jô tivesse sido invalidado. O Vasco, por sua vez, jogou à altura de sua história e ameaçou a meta defendida por Cássio, ainda que não com o mesmo perigo das jogadas corinthianas.

Depois do gol, o Corinthians preferiu manter a posse de bola e garantir o resultado. Além de interromper uma sequência ingrata de três jogos sem vencer em Itaquera, a vitória levou o mosqueteiro paulista a abrir dez pontos de vantagem sobre o Grêmio no Campeonato Brasileiro. E definitivamente não foi com a ajuda da arbitragem que essa vantagem se construiu.

Contra o Vasco, o Corinthians ampliou a 14 jogos sua invencibilidade. A última derrota corinthiana contra o clube carioca ocorreu em 2010. Desde então houve oito vitórias corinthianas e seis empates.


 | Artilheiro do jogo: Jô |
| Contra o Vasco |
O Corinthians em 2017 |
Em Itaquera |
Na história do Campeonato Brasileiro |
Sob o comando de Fábio Carille |
O Corinthians em 107 anos de história |


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *